Notícias

1 de outubro de 2020

Número de alunos de música aumenta com aulas online durante a pandemia

A adaptação das Escolas de Música e Cidadania para o universo digital exigiu intensa reformulação e rapidez quando, no mês de março, a pandemia de COVID-19 oficialmente fechava as portas das salas de aula. Apesar dos desafios tecnológicos, didáticos e da nova rotina de alunos e responsáveis, o projeto chega ao meio do segundo semestre com mais de mil alunos matriculados, e um aumento de 18% referente a novas inscrições.

Para o bom desenvolvimento do ensino à distância, as análises e avaliações são constantes. Com base em dados e relatórios do semestre anterior, incluindo pesquisa de satisfação junto aos pais e responsáveis e estatísticas dos canais virtuais, a equipe pedagógica elaborou novas métricas pedagógicas, dentre elas a inclusão de novas ferramentas online e otimização do processo de aprendizagem. Além das aulas, os alunos passaram a ter encontros coletivos a cada ciclo de aprendizado, e as conferências junto aos familiares segue acontecendo.

Neste processo, a atenção também esteve voltada aos professores, incluindo a realização de uma consultoria para ensino à distância, ministrada pelo doutorando em Políticas Públicas e Formação Humana, Caio Abitibol: “Acho que o maior desafio atual é entender que uma educação online, ou mediada por tecnologias, tem peculiaridades e questões próprias. É entender que uma educação online não é simplesmente igual a uma educação presencial. Não necessariamente uma prática bem feita presencialmente vai funcionar em um ambiente online. Junto a isso, refletir sobre as práticas, sobre métodos e principalmente tentar compreender o aluno”, comenta Caio.

Em paralelo, a Agência do Bem já conta com um protocolo para retomada gradual das aulas presenciais, a ser aplicado conforme as condições gerais se mostrem favoráveis em cada região.