Notícias

27 de maio de 2020

Projeto Escola de Música e Cidadania avança com ensino à distância

As Escolas de Música e Cidadania chegaram a mais um mês de aulas online frente à pandemia de coronavírus em todo o país. Os grupos de Whatsapp não param. Nos 17 canais criados no YouTube, professores de todos os polos do Rio de Janeiro e outros cinco estados do Brasil levam conteúdo aos alunos, que marcam sua presença, trazem comentários, dúvidas e registro dos exercícios e atividades por meio de quase 200 salas virtuais, com interações por meio de mensagens e vídeos.

“Este novo modelo educativo está apoiado em uma característica pedagógica central: a interação. Tal como acontece nas aulas presenciais, nossos alunos são estimulados a trocar ideias, compartilhar experiências e usar a criatividade como ferramenta de comunicação. Pensando neles, pautamos nossas ações pedagógicas com base em aplicativos que já fossem de uso comum, mas isso não nos poupou de enfrentar desafios; de certo modo a equipe pedagógica tem buscado constantemente inovar a linguagem nestas diferentes plataformas, tendo o cuidado de estar sempre de mãos dadas com nossos alunos”, explica a supervisora pedagógica Carolina Castro.

Os esforços nesta nova rotina também ganham destaque, como no polo Rocha, que funciona em parceria com a Instituição Lar Maria de Dolores, a qual contribuiu com a compra de pacotes de dados de internet para que mais alunos pudessem acompanhar as aulas. Em Vila de Cava, o aluno Arthur Romariz contou até com a ajuda de um dos vizinhos no compartilhamento da rede Wi-Fi. Já pais e responsáveis emprestam seus aparelhos e participam junto à coordenação do projeto e professores, contribuindo para o desempenho nos estudos: “O Kaio Victor está amando suas aulas, e não está com nenhuma dificuldade. Parabéns, professor, pelo lindo trabalho”, diz a mãe Bruna Karla, no grupo de canto coral, do polo Laranjeiras.

Por meio de gráficos gerados semanalmente, a equipe pedagógica avalia a frequência e participação dos alunos. Diante do cenário de incertezas, a aposta da Agência do Bem é aprimorar o conteúdo e a interação para manter a motivação dos alunos à distância. “Parabéns! E muito obrigada a todos que fazem este projeto grandioso se tornar realidade. Se em tempos ‘normais’ o projeto tem sido essencial na vida destas crianças e jovens, o que dizer agora neste momento de ‘pausa’ mundial? A música e a alegria construindo a força e a esperança de um futuro melhor”, relata Franscisca Laene, mãe da aluna Giovana Macedo, do polo Jaguariúna, São Paulo.